O histórico Oscar de 2017


Do que era para ser mais uma noite de gala se tornou uma cerimônia histórica. A 89ª edição do Oscar que teve a pluralidade se destacando na maioria das listas de indicados, a noite de surpresas se quando Esquadrão Suicida recebeu a estatueta na categoria de melhor maquiagem, outra obra voltada para o público Nerd que ganhou uma estatueta foi Animais Fantásticos e onde habitam, que ganhou na categoria melhor figurino se tornando o primeiro filme do universo Harry Potter a ganhar uma estatueta do Oscar.

Viola Davis



Os discursos destacaram nesta edição do Oscar sendo um dos mais emocionantes  o da atriz Viola Davis vencedora do Oscar de atriz coadjuvante, por “Um Limite Entre Nós” que disse:"   “Tornei-me uma artista, e graças a Deus me tornei, porque é a única profissão que celebra o que realmente significa viver a vida. Desenterrar essas histórias. As histórias de pessoas que sonharam grande e nunca puderam usufruir dos seus sonhos”.





Outro destaque da noite foram os discursos políticos sendo direcionado principalmente na política de imigração do presidente americano Donald Trump onde artistas se manifestaram contra as declarações e as ações do presidente. Dentre eles o diretor iraniano Asghar Farhadi vencedor de inúmeros prêmios incluindo o Oscar de Melhor Filme em língua Estrangeira de 2017 Com o filme “o apartamento” disse por meio de uma representante: “Estou ausente em respeito às pessoas do meu país e de outras seis nações que foram desrespeitadas pela lei desumana que barra a entrada de imigrantes nos EUA”
Asghar Farhadi, diretor iraniano
Em reflexo da diversidade da lista de indicados os artistas negros se destacaram na premiação  sendo a primeira vez, que em uma única categoria do Oscar dedicada ao trabalho de atores, a de Melhor Atriz Coadjuvante, contou com três pessoas negras entre cinco indicações, As atrizes Viola Davis ganhadora do Oscar, por sua performance em “Um Limite Entre Nós”, além das atrizes  Naomie Harris de “Moonlight: Sob a Luz do Luar” e Octavia Spencer de “Estrelas Além do Tempo. Concorriam ao prêmio. Além disto temos Mahershala Ali ganhador melhor ator coadjuvante.

Mahershala Ali
Damien Chazelle, diretor de La La Land
O recordista de indicações La La Land acabou levando seis estatuetas para casa incluindo a de melhor atriz para Emma Stone e melhor diretor para Damien Chazelle de 32 anos, tornando ele o mais jovem a ganhar nesta categoria além de Casey Affleck “Manchester à Beira Mar” superando os favoritos Denzel Washington “Um Limite Entre Nós” e Ryan Gosling “La La Land” levando o premio de melhor ator. Coroando está noite histórica no momento do anúncio do prêmio principal da noite o de melhor filme aconteceu a maior gafe da história do Oscar, anunciaram erroneamente La La Land como vencedor da categoria, e só depois da equipe de La La Land já estar no palco e que resolveram a confusão anunciando o verdadeiro vencedor Moonlight: sob a luz do luar.
Assista o momento da confusão: 

Essa edição do Oscar será lembrada daqui alguns anos talvez por sua diversidade, talvez por seus discursos emocionantes e os políticos ou talvez por causa da confusão na hora da entrega do prêmio de melhor filme mais com certeza a 89ª Edição do Oscar será lembrada.

Heróis Virando Vilões

Neste ano de 2016 foi um ano de muitos embates míticos e inimagináveis no cinema mundial, teve desde Batman vs. Superman até Guerra Civil, onde o Capitão América lutou contra o Homem de Ferro, e nesse último caso dividiu o mundo entre #TeamCap contra #TeamIronMan.




O ano de 2017 já mostra que essa pegada de um contra o outro irá continuar. Alguns trailers foram lançados e afirmam essa continuidade, veja alguns desses exemplos:

Velozes e Furiosos 8



Transformers: O Último Cavaleiro



Como já diz aquele dito popular time que está ganhando não se mexe, nesse caso fórmula que está fazendo sucesso se repete.  



Animais Fantásticos e Onde Habitam

Após 5 anos do fim da última franquia mágica de J.K Rowling,  mais uma vez o mundo mágico terá novas histórias, agora na visão do bruxo Newt Scamander, a história se passa 70 anos antes da saga Harry Potter.

A história é baseada em um livro didático que é utilizado em Hogwarts, com o mesmo nome do filme, Animais Fantásticos e Onde Habitam. A trama gira em torno da ida de Newt Scamander, um Magizoologista, que chega aos Estados Unidos da América mundo em busca de novas espécies mágicas e para que assim ele relatasse em um livro.

Ao chegar aos EUA um das suas criaturas que ele carrega em sua mala foge, aumentando assim a crise mágica que está acontecendo nos EUA, gerando uma intriga com o Congresso Mágico dos Estados Unidos (MACUSA), que zela pela exclusão da sociedade bruxa da sociedade não bruxa, mais conhecida como Trouxa, devido ao medo gerado pelos Julgamentos das Bruxas de Salém.


Já se sabe que esse não será um único filme, a vida de Newt será uma franquia de 5 filmes; outra grande notícia para os Potterheads(fãs de Harry Potter) é que o excêntrico ator Johnny Deep como o vilão Grindelwald, ele terá uma rápida aparição no primeiro filme, porém estará presente nos outros.

 O filme estreia no dia 17 de novembro aqui no Brasil, antes dos Estados Unidos que estrearão um dia após.


O inicio da saga do Zé do Caixão

HORROR!!! MEDO!!! DESESPERO!!! PÂNICO!!! leitores hoje em comemoração ao Halloween,
( ou dia do saci em alguns estados) vamos prestar homenagem a um dos maiores (Se não o maior) dos cineastas brasileiro  o Sr. José Mojica Marins o popular Zé do Caixão  falando de sua primeira  grande o obra À Meia-Noite Levarei Sua Alma.
Aos 27 anos e vários filmes no currículo nenhum deles de grande expressão o cineasta lança em 1964 À Meia-Noite Levarei Sua Alma o seu primeiro filme no gênero do terror .
 No filme José Mojica Marins da vida ao Zé do Caixão,  em sua busca maníaca da mulher perfeita para gerar um filho e perpetuar a continuidade do seu sangue.



Zé do caixão e sua reflexão sobre a vida

Lançado no começo do regime Militar o filme foi reproduzido em pouquíssimas salas de cinemas nacionais além de ser muitíssimo criticado pelos religiosos devido ao conteúdo controverso. seu sucesso só viria quando lançado nos Estados Unidos nos anos 90 onde ficou conhecido internacionalmente como Coffin’ Joe.
Banner do Housecore Horror Film Festival
realizado 12 de novembro de 2015 nos EUA
Apesar da falta de reconhecimento pelos seus semelhantes no Brasil ele foi vencedor  de vários prêmios internacionais como o Tiers Monde da imprensa mundial, 3º Convention du Cinéma Fantastique (França), em 1974; e um Prêmio Especial no Festival Internacional de Cine Fantástico y de Terror Sitges (Espanha), em 1973. 
Este é considerado o primeiro filme de terror tipicamente brasileiro sendo este um  fruto direto de nosso folclore, de nossas superstições, de nossas neuroses (ou falta delas) e, principalmente, de nosso sincretismo religioso.


Drácula de Bela Lugosi uma clara inspiração no figurino do Zé do Caixão

 Apesar das dezenas de defeitos técnicos no filme, afinal estamos falando do Brasil nos anos 60 e estamos falando de um  filme com pouquíssimo orçamento. Mas isso não deve se tornar um empecilho para ver essa obra, e sim um incentivo para aprecia-la, afinal, a interpretação de Mojica é muito interessante, com seu figurino claramente inspirado em Bela Lugosi, e maquiagem (bem mais ou menos).

O filme é indispensável para qualquer cinéfilo interessado na historia do cinema nacional sendo um dos precursores do cinema de gênero no brasil. 









Miracleman: A conturbada história dos bastidores

A criação
Durante a era de ouro dos quadrinhos (1938-55) a editora Americana Fawcett publicava histórias de seu principal personagem o Capitão Marvel que na época superava o Super-Homem em popularidade e vendas até a DC, que ainda era conhecida como Natinal Comics, na época abriu um processo contra a Fawcett alegando que seu personagem era um plágio do Super-Homem sem recursos para arcar com processo a editora parou de publicar as histórias do Capitão Marvel.
Enquanto isso no Reino Unido a editora L. Miller & son republicava as histórias da Fawcett entre elas o Capitão Marvel, quando soube que o título não seria mas lançado, o proprietário da empresa ,Leonard Miller, encomendou ao Gower Studios do artista Mick Anglo uma série substituta, tão idêntica quanto possível à Família Marvel. Assim nasceu Marvelman, e seus companheiros Young Marvelman e Kid Marvelman.
  

Família Marvel: Capitão Marvel,Mary Marvel, Capitão Marvel Jr. 
Família Marvelman: Marvelman, Young Marvelman, Kid Marvelman

Anglo e a decepção
Anglo na década de 1960 ao questionar, sobre a sua parcela dos  lucros  para Miller, saiu decepcionado com a resposta do proprietário da editora segundo Leonard Miller  apesar do registro em nome de Mick Anglo o personagem não pertencia a Anglo mas sim a editora (Os personagens criados na época não pertenciam aos escritores mas sim as editoras que a publicava essa situação só mudaria nos meados dos anos 90.) Após um tempo a editora faliu e o personagem entrou em hiato.  Mick Anglo saiu desapontado com a editora e acreditando que os direitos de seus personagens tinham sido roubados, deixou de trabalhar para a L. Miller & Son e seguiu o próprio rumo, chegando a publicar uma cópia de seu próprio personagem, o Captain Miracle, que usava artes e histórias foram originalmente pensadas para o Marvelman.

A reinvenção do personagem
Novo design do personagem na Warrior
Derek Skinn (também conhecido como Dez Skinn) antigo diretor chefe da Marvel UK decide sair da Marvel e abrir a sua própria editora, assim nasce em 1982  a  Quality Communications , e com ela montar uma nova revista a Warrior com o objetivo de rivalizar com a 2000AD (uma antologia que publicava as histórias do Juiz Dredd.). Para isso, ele chamou muitos dos autores que trabalhou com ele durante sua estadia na Marvel, entre eles estava Alan Moore, (autor de clássicos como Watchmen, Batman: A Piada Mortal e Liga Extraordinária.) que ficou responsável por duas histórias: sua própria criação, V de Vingança, e uma série que pertenceria à revista, Marvelman.

A chave para a o entendimento
Derek Skinn apesar de publicar as histórias do personagem ele não tinha os devidos direitos sobre ele. Mas com a divisão de quadrinhos da L.Miller fechada dês dos anos 60 Skinn simplesmente deduziu que não existia nenhum grupo com recursos e/ou interesse em impedi-lo de explorar o personagem.
Skinn chegou a procurar Mick Anglo para conversar sobre o retorno do herói, mas Anglo, descontente do personagem e ainda acreditando ter perdido seus direitos sobre ele em 1960, exigiu apenas o pagamento caso a Warrior publicasse alguma das histórias escritas por ele mesmo, o que ocorreu apenas duas em duas ocasiões.

Fim da Warrior
Após o cancelamento da Warrior os “direitos” que estavam com Skimm foram dividido como um acordo de pagamento sendo 30% para Allan Moore, 30% para cada desenhista  Alan Davise e Garry Leach e Skinn permanecendo com 10% que posteriormente foram repassados para a editora americana Eclipse, aonde as histórias continuariam a sendo publicadas.

Troca de nome e Nail Gaiman
Por medo de problemas com a Marvel comics por causa do nome a editora Eclipse decidiu  trocar o nome do personagem de Marvelman para Miracleman.
Após Moore terminar a sua história pela eclipse ele passou seus “direitos” para Nail Gaiman e o desenhista Mark Buckingham ficando com 15% cada um que continuaram a escrever as histórias  do Miracleman, até 1994 quando a editora abriu falência e o personagem ficou sem novas histórias.

Todd McFarlane vs Nail Gaiman
Em 1992 Todd McFarlane funda a Image comic se tornando uma terceira potência na indústria dos quadrinhos durante os anos 90 e em 1996 comprou toda a Eclipse e seu espólio incluindo os 10% do Miracleman  que pertencia a antiga editora.
Durante um trabalho para a Image comics, Gaiman e Todd McFarlane fizeram um acordo em que Nail Gaiman passaria para ele o direito de três personagens que ele criou na edição#9 de Spawn (lembrando que nesta época os escritores já tinham 100% dos direitos dos personagens que criavam) e Todd deveria transferir a Gaiman a porcentagem dos direitos de Miracleman que ele possuía.
Mas apesar do Nail Gaiman cumprir sua parte do acordo o Todd McFarlane se recusou a cumprir iniciando assim uma batalha judicial. 

Revelação e o fim
Em 2001 Skinn revelou em entrevista que não tinha obtido os direitos do personagem e que havia publicado à revelia. Após repartir a declaração no tribunal os antigos contratos foram estudados para a descoberta que nenhum deles teria direito sobre o Miracleman, apenas Mick Anglo que realmente tinha registrado o personagem durante os anos 60 e nunca havia transferido seus direitos. 
Já em 2009, a Marvel comics conseguiu os direitos do personagem do próprio criador Mick Anglo,  que faleceria um ano depois, em 2010.
Por fim  toda a fase dos anos 80 escrita por Allan Moore e a fase dos anos 50 escrita pelo Mick Anglo foi republicada e parte dos lucros foram revertidos para os descendentes de Anglo.

Minha Mãe é uma Peça 2





O Filme que conta a história de Dona Hermínia, A mãe mais engraçada do Brasil, estará de volta nas telonas em ‘‘Minha Mãe é uma Peça 2” em Dezembro deste ano. A continuação do longa mostrará uma Hermínia bem sucedida e rica, seu visual repaginado e os vários dilemas que enfrentará ao decorrer da história, tudo claro sem perder aquela essência de sarcasmo e humor. A mãe Super Protetora também terá que se adaptar ao “ninho vazio” e a chegada de seu primeiro neto. O filme promete arrancar boas risadas e quem sabe assim como em 2013, atingir mais uma vez a marca de espectadores para as salas dos cinemas.




(foto de divulgação)

As Sagas do tio Rick

Um dos escritores infanto-juvenis mais famosos da atualidade é o norte-americano Richard Russell Riordan Jr, mas conhecido como Rick Riordan. Ele se destaca no cenário literário com seus livros sobre diversas mitologias ao redor do mundo, como: Magnus Chase and the gods of Asgard, as Crônicas de Kane, entre outras, mas hoje vamos abordar as duas maiores séries do autor que são Percy Jackson e os Olimpianos, e Heróis do Olimpo. Ambas as séries de livros tem como assunto principal a mitologia grega.



Começaremos com a mais antiga e mais famosa saga do autor, Percy Jackson e os Olimpianos, a série aborda a vida do “semideus” Perseu Jackson logo quando ele descobre que seu pai é o rei dos mares, Poseidon. Percy começa uma jornada com seus amigos Annabeth Chase (filha de Atena) e Grover Underwood (sátiro), para descobrir por que o Monte Olimpo, lar dos deuses está se preparando para uma 8minente guerra. Essa série se constitui através de cinco livros.

Já a série Heróis do Olimpo, Rick procura entrelaçar as mitologias Gregas e Romanas na história, ele insere mais personagens, outros filhos de outros deuses, como: Jason Grace (filho de Júpiter), Leo Valdez (filho de Hefesto), Piper McLean (Filha de Afrodite), Hazel Levesque (filha de Plutão) e  Frank Zhang (filho de Marte). Nessa saga os semideuses descobrem a existência de outro acampamento para semideuses, o Acampamento Júpiter, e juntos terão que deter a titã mais antiga do universo Gaia, a mãe Terra.


Rick Riordan ficou muito famoso por esses dois livros, a ponto de ganhar vários prêmios, como o Children’s Choice Award em 2011, ele estava concorrendo com Cassandra Clare (Instrumentos Mortais); Suzanne Collins (Jogos Vorazes); Jeff Kinney (Diário de um Banana) e Stephenie Meyer (A Saga Crepúsculo).

Ele também conseguiu uma proeza que pucos autores conseguem que foi além da fidelização de fã da saga, ele conseguiu o carinho de seus fãs nas redes sociais, por lá ele é chamado de Tio Rick.   

Google+ Badge

Tecnologia do Blogger.

Comment